Em quarentena, Thiago Braz fala como está lidando com o distanciamento

141
Foto: Reprodução rede Social do Atleta

Medalha de ouro nos Jogos Olímpicos, em 2016, Thiago Braz (atualmente sem clube), é um dos principais nomes do atletismo brasileiro. Especialista no salto com vara, o atleta é o atual recordista olímpico com a marca de 6.03m e já conquistou o índice olímpico para os jogos Tóquio 2020 (conquistado na Etapa de Mônaco, da Liga Diamante).

Após a conquista da medalha de ouro no Rio de Janeiro, Thiago não conseguiu manter o ritmo e teve uma queda de rendimento, mas na temporada passada (2019) voltou à boa fase conquistando a medalha de bronze na Liga Diamante e fechando o Mundial de Atletismo na quinta colocação.

Atualmente morando na cidade de Fórmia, na Itália, Thiago Braz comenta que a escolha de morar fora Brasil foi com principal objetivo a busca pelo conhecimento.

“Morar na Itália foi uma ótima oportunidade de crescimento. Fui em busca de conhecimento do salto com vara e cresci muito por aqui, tanto que nós colhemos o fruto da melhor experiência da minha vida, as Olimpíadas. Estava com tanta vontade de vencer e treinar o máximo que adaptação foi ótima. Fórmia é uma cidade maravilhosa, de pessoas muito acolhedoras. Fizemos muitos amigos por aqui”, disse Braz.

Assim como Estados Unidos, China e Brasil, a Itália foi um país que sofreu forte impacto por conta do coronavírus, ainda assim, o brasileiro optou por seguir em solo italiano.

“A escolha de permanecer na Itália veio muito antes dessa pandemia se espalhar. A intenção era permanecer na Itália para ter o mesmo ciclo de quando conquistei o ouro olímpico. Após minha ultima competição na França, exatamente no dia 09/02, não pensei duas vezes em voltar para a Itália. Infelizmente, o que não imaginava, aliás, nunca imaginei, é que pudéssemos viver um momento tão complicado e que poderia correr o risco de ficar sem treinar por meses. Apesar de estarmos na Itália, quando toda essa situação ficou mais alarmante, resolvemos permanecer no mesmo local, ao lado do meu técnico. E essa foi uma decisão em conjunto com a minha equipe, o COB e a CBAt”, explicou. 

Entrevista coletiva de Thiago Braz, medalhista de ouro no salto em altura. Foto: Francisco Medeiros /ME

“Nós estamos afastado do Sul da Itália onde a pandemia foi mais ofensiva. As recomendações são as mesmas que todos estão recebendo no Brasil. Nós estamos em casa, e podemos ir apenas ao mercado e na farmácia. Sabemos que estamos passando por um momento delicado e que é muito importante seguir todas as orientações para ajudar no combate ao vírus. Quanto a minha rotina, está sendo maravilhoso ter a Ana ao meu lado nesse período. Ela é parceira, a gente se dá muito bem, e ela tem me ajudado bastante com o improviso dos treinos em casa”, completou.  

Seguindo a orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS), segue realizando o treinamento em casa. “Treinei até o dia 14/03 no centro de treinamento e, após essa data, mesmo estando no local, o centro foi fechado por determinação das autoridades e seguimos, para as nossas residências”, explicou. 

Impacto com adiamento dos Jogos Olímpicos para 2021

“Eu acho que temos que tirar algo positivo de todos os momentos difíceis das nossas vidas. Apesar de estar muito triste por conta do momento que estamos vivendo, com essa pandemia terrível, ao mesmo tempo vou permanecer mais um ano com a medalha olímpica. Além do fato de que não só eu, mas todos os atletas vão poder se preparar melhor para os jogos. Tenho certeza que no ano que vem as Olimpíadas vão ser um grande espetáculo para o mundo”. 

Sem poder manter o ritmo de treinos, muitos atletas estão aproveitando para colocar a leitura e assistir séries, já Thiago Braz falou de sua preferida. “Nossa, séries, tem algumas que eu gosto, mas a última que assisti foi a La Casa de Papel, queria ver meu amigo Neymar Jr. atuando. Foi bem legal”.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here